Autoridade de Proteção de Dados da Irlanda abre investigação contra Google para verificar práticas em relação à privacidade dos usuários

A autoridade que regula a privacidade e uso de dados pessoais da Irlanda, na União Europeia, abriu investigação sobre as práticas publicitárias do Google.

Compartilhe:

A Autoridade de Proteção de Dados da Irlanda (Ireland’s Data Protection Commissioner), em 22.5.2019, abriu investigação para apurar as práticas do Google em relação à proteção à privacidade dos usuários, em relação à publicidade digital. A medida está fundamentada no Data Protection Act of 2018 (seção 110) e objetiva verificar se as atividades de processamento de dados, no contexto de transações online relacionadas à publicidade digital, observam a regulação de proteção de dados (General Data Protection Regulation – GDPR), conforme noticia a Reuters, a partir do press release do agência irlandesa.

Em questão, a fiscalização das atividades do provedor de mecanismos de busca online para saber se as práticas são transparentes, bem como as práticas de retenção de dados.  A autoridade regulatória quer investigar as práticas de monitoramento das atividades dos usuários quando navega pela internet e visita websites. Geralmente, o navegador, instalado no computador ou telefone celular, passa a rastrear as atividades online dos usuários dos websites, para o fim de tornar o consumidor o alvo de campanhas de publicidade digital. Se for constatada alguma violação à legislação, a autoridade reguladora poderá aplicar multas que podem chegar a 4% (quatro por cento) do faturamento global da companhia ou vinte milhões de euros. Muitas das empresas globais de tecnologia possuem sede europeia na Irlanda, daí a jurisdição da Autoridade de Proteção de Dados irlandesa.

Compartilhe: