Consulta Pública sobre a estratégia nacional de segurança cibernética

O governo colocou em consulta pública a minuta da Estratégia Nacional de Segurança Cibernética (E-Ciber), elaborada pelo Gabinete de Segurança Institucional (GSI) da Presidência da República, com a colaboração de outros órgãos de governo, instituições privadas e setor acadêmico.

Compartilhe:

O Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República abriu consulta pública a respeito da estratégia nacional de segurança cibernética.

Na justificativa mostra os riscos de ataques cibernéticos e os danos à economia brasileira, com a invasão de computadores, roubo de dados pessoais, fraudes cibernéticas, ataques a banco de dados do setor público, disseminação de vírus, etc. O Brasil é um dos países com maior incidência de ataques cibernéticos. Menciona ainda que a comunicação digital pode ser monitorada ou interceptada por diversas formas: dispositivos pessoais ou organizacionais, infectados com malware ou monitorados diretamente, roteador wi-fi, infectado com malware ou controlado por terceiros, provedores de internet infectados, por intenções próprias ou de terceiros, ponto de rede nacional (gateway) independente de localização do interceptado, cabos com derivação para desvio das comunicações, website do serviço que está sendo usado  e qualquer um dos serviços que armazena ou roteia sua comunicação. Dentre os eixos temáticos da consulta, a proteção estratégica do governo e das infraestruturas críticas. Outro tema é a edição de lei com a estratégia nacional de segurança cibernética. E, também, a demanda por conscientização do público a respeito dos riscos do ambiente cibernético, bem como ações de formatação e capacitação de profissionais em segurança cibernética, mediante cursos, e incentivos à criação de startups no segmento Seg Ciber. Igualmente, ampliar a cooperação  internacional do Brasil em segurança cibernética.

Compartilhe: