Edital do BNDES para selecionar fundo de investimento em participações no setor de internet das coisas

As propostas de fundos serão avaliadas de acordo com critérios definidos no Edital de Chamada Pública

Compartilhe:

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social – BNDES, através de sua subsidiária BNDESPAR, a empresa Qualcomm serviços de telecomunicações Ltda., divulgaram edital de chamada pública para seleção de fundo de investimento em participações no setor de internet das coisas.

O objetivo é selecionar uma empresa gestora de fundo de investimento em participação para pequenas e médias empresas no setor de internet das coisas. O prazo de duração do fundo é de 10 (dez) anos, prorrogável por mais dois anos.  Dentre os requisitos, o patrimônio mínimo de R$ 120 (cento e vinte) milhões e o patrimônio de referência de R$ 160 (cento e sessenta milhões).

A Qualcomm Venture participará com até R$ 40 (quarenta) milhões, com limite a 25% (vinte e cinco por cento) do patrimônio do fundo, não ultrapassando R$ 10 (dez) milhões na data de fechamento do fundo. Por sua vez, o BNDESPAR participará com até R$  40 (quarenta) milhões, limitado a 25% (vinte e cinco por cento) do patrimônio do fundo. O capital investido será destinado a empresas de base tecnológica com sede no Brasil, com faturamento de até R$ 16 (dezesseis) milhões/anos.

É recomendável que o fundo invista em pelo menos 14 (quatorze) empresas, com participação minoritária do capital social das empresas investidas. Os investimentos deverão ser realizados em todo o território nacional. Dentre os setores-alvo, empresas do ecossistema de internet das coisas, ou IoT (internet of things), incluindo hardware, software, soluções e serviços. O fundo deverá focar em empresas desenvolvedoras de produtos e serviços em quaisquer verticais do mercado. Assim, deverá incluir sensores inteligentes, sistemas embarcados, gateways, soluções de segurança e redes específicas para IoT, soluções de real time analytics, software de controle de gestão de ativos físicos e outros componentes utilizados neste ecossistema. O fundo deverá investir, no mínimo, 15% (quinze por cento) do seu capital em soluções e produtos de IoT baseado em tecnologia celular, a qual deverá estar baseada em padrões abertos e não proprietários (3G, LTE e 5G).  As tecnologias proprietárias (como SigFox ou LoRA) não são consideradas abertas.

Como referência do ambiente normativo o Plano Nacional de Internet das Coisas, na forma do Decreto n. 9.854/2019, bem como Portaria MCTIC n. 5.894/2018. O edital ainda define as regras sobre a taxa de administração do fundo, taxa de performance, o Comitê de Aconselhamento, o Comitê de Investimento, as responsabilidades da gestora, regulamento do fundo, o processo de seleção, análise gerencial e jurídica.  O prazo para recebimento das propostas vai até 07/02/2020.   Mais informações: www.bndes.gov.br/fundo-iot.

Compartilhe: